E o burro sou eu?

Deputados desabafam mágoas e acusam Governo de tentar iludir a Assembleia

Fong Chi Keong sabe muito bem quais são as competências da Assembleia Legislativa e David Chow não gosta que o órgão legislativo nunca seja tido nem achado durante as iniciativas legislativas do Governo. Ambos garantem que aos deputados não falta inteligência.

Estivéssemos nós em princípio de legislatura e dificilmente se ouviriam comentários como os de ontem. Fong Chi Keong não gostou da estratégia do Governo em relação ao alargamento das competências do Comissariado contra a Corrupção (CCAC). Já David Chow pronunciou-se sobre o modo geral como Executivo e Assembleia (não) comunicam em matéria de diplomas a serem apresentados ao órgão legislativo.
“A matéria que trazem hoje é da competência da Assembleia. O que temos de fazer é proteger os interesses e direitos da população”, afirmou Fong Chi Keong, censurando as práticas do CCAC e recomendando aos seus representantes a leitura do Artigo 28º da Lei Básica.
O deputado condenou a postura do Comissariado, que ontem disse estar disposto a deixar cair um artigo do diploma a votação. “Agora vêm dizer que tiram um artigo. Será que nós somos todos burros?”, perguntou, exaltado. “Não, não! O que nós queremos é proteger a população!”, vincou, pronunciando-se depois acerca da organização judiciária da RAEM e do sistema jurídico local para sublinhar que “o CCAC não pode querer fazer tudo com uma só lei”.
Fong, que votou contra esta proposta, esclareceu os representantes do Governo que “os deputados não têm de aprovar tudo o que nos é apresentado”. E fez uma recomendação: “Voltem para casa para pensarem um pouco.”
David Chow pronunciou-se noutra altura do debate para explicar a razão do seu cansaço no que toca ao exercício das funções de deputado. “Não é só a presidente que não quer continuar a ser presidente, eu também não quero continuar a ser deputado. Nunca somos auscultados. Parece que somos burros.”
O deputado condena o facto de o Governo não dar a conhecer atempadamente à AL os planos que tem em termos de iniciativa legislativa. “Para quê ser deputado? Quais são as funções da Assembleia? É por isso que a presidente não quer ser presidente, mas eu espero que continue a ser.”
Chow espera também que “no futuro, o Governo apresente o seu plano, porque é injusto para os deputados”. A legislatura ainda não acabou mas ficou já um voto para os deputados a eleger a 20 de Setembro próximo: “Espero que a próxima Assembleia não tenha problemas para poder trabalhar.”

Isabel Castro, in Ponto Final

Advertisements

About this entry