Interpol à procura de cunhado do irmão de Edmund Ho

Chan Lin Ian é arguido num processo conexo ao de Ao Man Long

É mais um mandado de captura relacionado com o escândalo de corrupção protagonizado pelo ex-secretário para os Transportes e Obras Públicas. O South China Morning Post avançou ontem que a Interpol anda no rasto de um familiar de Edmund Ho. O PONTO FINAL sabe que Chan Lin Ian é um dos 11 arguidos do processo de Pedro Chiang.

E já lá vão seis. Depois dos mandados de captura relativos à mulher de Ao Man Long, aos empresários Pedro Chiang e Ho Meng Fai, e a Lei Leong Chi, amigo do ex-secretário, a Interpol lançou agora um “alerta vermelho” em busca de Chan Lin Ian, cunhado do irmão do Chefe do Executivo. A organização internacional anda também à procura da mulher de Chan, Lam Man I, sendo que ambos são suspeitos de branqueamento de capitais no escândalo de corrupção que teve Ao Man Long como protagonista, conforme avançou o Sunday Morning Post na edição de ontem. De acordo com o matutino de Hong Kong, a Interpol lançou um “alerta vermelho” em relação a Chan – o procedimento destina-se a ajudar a polícia local a encontrar o suspeito e a extraditá-lo para a jurisdição que requereu o mandado. O site da Interpol diz que Macau emitiu um mandado de captura de Chan Lin Ian, de 53 anos de idade. O South China Morning Post (SCMP) tinha dado conta, em Abril do ano passado, de que Chan era suspeito de envolvimento no caso de Ao. Na edição de ontem, o jornal explica que a empresa de Chan, a Shun Heng Construction, começou a ser investigada no ano passado por causa de três empreitadas públicas que levou a cabo entre 2003 e 2006. Chan Lin Ian terá, segundo o SCMP, subornado Ao Man Long nos projectos de renovação da Praça do Tap Seac, de edificação do complexo desportivo da Escola Sir Robert Ho Tung e de construção do parque subterrâneo Vasco da Gama. O jornal destaca que foi Edmund Ho a aprovar a celebração dos contratos com a Shun Heng. Mas não diz que compete ao Chefe do Executivo assinar os despachos cujas alçadas estão acima das legalmente atribuídas aos secretários. Com efeito, a celebração do contrato para execução da empreitada de “Requalificação da Zona do Tap Seac” resulta de um despacho assinado pelo Chefe do Executivo em 2005. O South China cita o Comissariado contra a Corrupção para explicar que neste projecto, que custou aos cofres do Governo 150 milhões de patacas, terão estado envolvidos 7,6 milhões de dólares de Hong Kong em subornos a Ao. Ainda segundo o matutino da região vizinha, Chan estava entre treze suspeitos cujos casos foram enviados pelo CCAC para o Ministério Público em Abril passado.

Suspeitos a monte

O PONTO FINAL sabe que o cunhado do irmão de Edmund Ho é um dos arguidos de (mais) um processo conexo ao do ex-secretário para os Transportes e Obras Públicas, que já está nos tribunais e que envolve 11 suspeitos, entre eles a mulher de Chan, Lam Man I, e o amigo de Ao, Lei Leong Chi (ambos procurados pela Interpol). Neste caso estará ainda envolvida a mulher do ex-governante, Chan Meng Ieng, que se encontra também em parte incerta e que foi, no ano passado, no âmbito do primeiro processo conexo, condenada a uma pena de 23 anos de prisão efectiva. Do processo faz ainda parte Pedro Chiang, cujo paradeiro se desconhece igualmente. Ou seja, caso vá avante e os órgãos criminais internacionais não sejam capazes de encontrar estes cinco suspeitos a tempo, é bem provável que o caso seja avaliado pelos tribunais da RAEM com, pelo menos, cinco arguidos ausentes. O caso Ao Man Long fez com que tivessem sido já condenados a penas de prisão quatro empresários, em dois processos diferentes, sendo que, tanto quanto é do conhecimento público, apenas um deles, o administrador da CSR – Macau, está já a cumprir a pena que lhe foi aplicada. Frederico Nolasco da Silva deu entrada na passada semana no Estabelecimento Prisional de Macau. No âmbito do escândalo de corrupção do ex-secretário, condenado a 27 anos de prisão em Janeiro de 2008, foram ainda condenados por branqueamento de capitais três familiares seus – o pai, o irmão e a cunhada.

Isabel Castro, in Ponto Final

Advertisements

About this entry