“Parecia que tínhamos voltado à escola”

Ng Kuok Cheong critica Tsui Wai Kwan por ataques verbais aos democratas

É caso para dizer que “enfiou a carapuça” ou, se preferimos outra perspectiva, que “quem não se sente não é filho de boa gente”. Ng Kuok Cheong não gostou dos reparos feitos na passada semana por Tsui Wai Kwan a propósito de democratas e de democracia. Ontem, fez questão de responder ao “colega”.

O deputado da Associação Novo Macau Democrático (ANDM) não fez uma única referência ao nome de Tsui Wai Kwan, mas não era difícil adivinhar o destinatário da veemente intervenção que ontem fez no período de antes da ordem do dia.
Na passada semana, o deputado nomeado pelo Chefe do Executivo criticou os defensores da revisão do sistema político, alertando para o “perigo” que constituem para a sociedade e para o facto de não serem credíveis. Tsui tentou ainda desmontar os perigos dos sistemas democráticos.
Ontem, foi a vez de ouvir a resposta, dada por Ng Kuok Cheong. “Parecia que tínhamos voltado à escola quando um colega se digladiava contra o sistema de eleição directa e universal, advogando que este sistema mais facilmente contribuía para servir de berço à corrupção e à perversão”, começou o deputado da ANDM.
Depois, o tom endureceu: “As afirmações do colega pecam, em primeiro lugar, por erro crasso e baixos conhecimentos”. Ng admite que a democracia não é perfeita nem garante que a corrupção não apareça mas, sublinhou, “é um dos sistemas políticos que menos deficiências regista na história da Humanidade”.
O deputado tentou demonstrar as vantagens do sistema democrático indo buscar um exemplo aqui ao lado: a Taiwan e a Chen Shui-bian. “A democracia em Taiwan deu oportunidade aos seus cidadãos de rectificarem o erro, ou seja, de elegerem outro governante”. Ao contrário do que acontece em locais onde não há um regime democrático, prosseguiu, “assim que terminou o seu mandato foi sujeito a julgamento, aberto ao público, onde todas as vergonhas praticadas foram expostas”.
Ng Kuok Cheong confessou “estar a aprender, tal como um estudante, sobre o sistema político democrático”, para reiterar o seu desejo de que, no futuro, os 29 deputados da AL sejam eleitos gradualmente por sufrágio directo.

Ponham-se à prova
“A implementação de um sistema político [democrático] não significa que se substituam todos os colegas que integram o actual sistema e que não foram eleitos por sufrágio directo”, afirmou. “Antes pelo contrário”, defendeu, “a maioria deles deve pôr de lado o seu actual estatuto, sujeitar-se à fiscalização da população e lutar pelo apoio desta.”
Ng deixou ainda mais um recado: “Se de entre esses colegas alguém puder dar o seu apoio técnico mas não quiser candidatar-se a uma eleição por sufrágio directo, poderá dar o seu contributo através da integração nos diversos mecanismos estabelecidos pelo Governo da RAEM”. Convém é que sejam escolhidos para esses cargos também por eleições directas, rematou.
Recorde-se que Tsui Wai Kwan criticou aqueles que defendem a alteração do sistema eleitoral local. Fazendo referência ao incidente ocorrido no passado dia 20 de Dezembro, disse que “um grupo de pessoas que se manifestava pacificamente no terminal marítimo contra a intervenção maliciosa de forças do exterior nos assuntos de Macau” tenha sido “atacado por outro grupo de pessoas alegadamente protectoras da democracia e liberdade, que puxou e rasgou os cartazes dos manifestantes”.
Para Tsui, o facto destas pessoas não aceitarem “opiniões divergentes” significa que “desconhecem o que é a democracia, apesar de andarem sempre a dizer que lutam por ela”. Posto isto, apelou, “devemos pensar como será o regime de democracia e as eleições que este grupo ou os seus aliados querem implementar”.

Isabel Castro, in Ponto Final

Advertisements

About this entry